Equidade

É um valor fundamental para melhorarmos a convivência e a justiça social, e é assim que ela foi recriada por este autor e este ilustrador, nossos parceiros neste percurso de 80 anos. Porque a educação é o motor para atingirmos avanços significativos com relação à equidade.

Ilustrações equidade

Ilustrações de Javier Andrada cedidas para o 80º aniversário da SM.

Em algum lugar do mundo, há uma pessoa com síndrome de Down ou com uma deficiência que está sendo afastada de uma possibilidade de trabalho. Em algum lugar do mundo, há uma pessoa que está sendo segregada devido à cor da sua pele. Em algum lugar do mundo, há alguém que está sendo atacado por causa da sua religião. Em algum lugar do mundo, há uma mulher que não é considerada uma pessoa capaz e que não pode votar, nem andar sozinha pelas ruas, nem tomar suas próprias decisões. Em algum lugar do mundo, há uma outra mulher que ganha menos que um colega homem, mesmo sendo mais inteligente e capacitada. Em algum lugar do mundo, há um pai que está vendendo seu filho mais velho para poder dar de comer aos menores. Em algum lugar do mundo, há uma menina que está sendo obrigada a se casar. Em algum lugar do mundo...

Mas... quantos mundos existem?

Apenas um.

Este.

Sete bilhões de pessoas que o compartilham em um oceano infinito de desigualdades. Sete bilhões de seres humanos que nascem iguais como espécie, mas separados por um sem-fim de preconceitos.

A primeira vez que se falou em “globalização”, escrevi que isso acabaria se tornando um genocídio – primeiro cultural, e depois social –, abrindo ainda mais os abismos sociais.

E, como sempre, esquecemo-nos de que há palavras que resumem tudo isso.

Neste caso, “equidade”.

Será que algum dia aprenderemos a valorizá-las e empregá-las na sua justa medida?


De Jordi Sierra i Fabra.

ROLAR PARA BAIXO
Centro diurno em Melilla da SM e Save the Children
Fundação SM &

A Fundación SM se põe em movimento pela equidade

Melilla é uma das principais portas de entrada de menores imigrantes não acompanhados e de requerentes de exílio de origem síria; a cada dia, as fronteiras são atravessadas entre 20 e 30 mil vezes.

O Centro diurno da Save the Children em Melilla atende a menores estrangeiros não acompanhados residentes em centros de proteção ou em situação de rua. As atividades educacionais têm como objetivo corrigir situações de marginalização e exclusão, além de promover a inserção social. Save the Children também lhes oferece apoio psicossocial e assessoria jurídica.

É neste contexto que a Fundación SM contribui para assegurar a proteção e o bem-estar psicossocial e educativo desses menores. Como colaboradores estratégicos, formamos educadores, damos assessoria para o projeto educacional e doamos livros infantis e material didático para a biblioteca do centro.

A equidade para a SM

A essência do Projeto Educacional da SM pode ser sintetizada em três pilares: nosso compromisso com a educação, o modelo de pessoa que queremos oferecer para que possa ser desenvolvido em um mundo concreto e nossos eixos de atuação.

Uma das premissas do modelo de pessoa que inspira nosso Projeto Educacional é “o compromisso com a justiça e os direitos humanos”. Neste documento de referência obrigatória para a SM, afirmamos explicitamente que “a assimilação do sentimento de justiça compreende diversos valores que são a base da convivência na sociedade, como a equidade...”.

Nossas propostas de acompanhamento para a escola e a educação em geral pretendem atingir todas as situações de educação, entre elas, e com particular ênfase, as necessidades educacionais especiais – demandas da sociedade a que atendemos nas diferentes realidades locais e através de projetos concretos.

Entre eles, nosso projeto Rede de Apoio Diferenciado (RAD), em Porto Rico, que atende a escolas carentes, e nosso projeto de apoio às mulheres da zona de Chiapas (México), para que elas possam ter acesso à universidade e contribuir para o desenvolvimento da sua região, são alguns exemplos da nossa contribuição para a equidade educacional.

Ilustrações equidade